Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Paralisia Periódica Hipocalêmica Tireotóxica com Taquicardia Ventricular Sustentada

Yussef A. A. Junior, Beatriz Durlacher Arantes de Souza, Jaime Sasaki, Denise Tieko Sasazawa, Thassia N. Petrillo, Flávia Tomazini Da Silva, Renata Caroline de Souza Peguin Reis, Eduardo Rodrigues Chabregas, Bruno Machado Ignácio
Hospital Municipal Walter Ferrari - Jaguariúna - SP - brasil

A Paralisia Periódica Hipocalêmica Tireotóxica (PPHT), miopatiarara, caracteriza-se pelo excesso de hormônio tireoidiano com alteração doscanais iônicos das fibras musculares, hipocalemia transitória e fraqueza generalizada. Incidência de até 2% em pacientes com hipertireoidismo, entre 20 a 39 anos. Pode ser precipitada por ingestão excessiva de carboidratos,exercício físico extenuante, exposição ao frio, estresse, período menstrual, usode insulina ou epinefrina, abuso de álcool, broncodilatador e infecções. . O quadro clinico é caracterizado por crises transitórias de duração entre minutos a dias de fraqueza generalizada, com intensidade que varia de leve a tetraplegia. Dentre as alterações eletrocardiográficas podem estar presentes taquicardia sinusal,fibrilação atrial, taquicardia supraventricular paroxística, taquicardia ou fibrilação ventricular.

Objetivos e métodos: Relato de caso com base em revisão de dados de prontuário.

Relato: Masculino, pardo, 22 anos, história de diarréia há 3 dias, febre, palpitações e fraqueza muscular. Na admissão:tetraplegia, FC 160, PA 120x80, Sat 95%, FR 30, ECG: Taquicardia VentricularMonomórfica Sustentada. Laboratoriais: Potássio sérico: 1,8 mEq/L, demais exames gerais normais. Conduzido em sala de emergência, iniciado reposição de potássio com reversão da taquiarritmia. Durante internação paciente referiu perda ponderal de 20kg em 4 meses, associado com tremores e palpitações,outros exames: TSH: 0,01 mUI/ml; T4L: 7,14 ng/dL; anticorpo anti-trab 6,70UI/L; anticorpos antitireoperoxidase 687,40 UI/ml; US tireóide: aumento de volume glandular e alteração ecotextural do parênquima. Ecocardiograma: sem alterações. Iniciado tratamento com tapazol e propranolol com melhora progressiva dos sintomas, sem recorrência de hipocalemia, paciente em seguimento programado nova função tireoidiana e encaminhamento para iodoterapia.

Discussão: Tal relato de caso traz a importância do diagnóstico desta condição em sala de emergência.Dentre os diagnósticos diferenciais da PPHT há principalmente a paralisia periódica hipocalêmica familiar que possui as mesmas características clínicas e laboratoriais exceto pela ausência da tireotoxicose. O objetivo do tratamento da PPHT é manter o paciente em eutireoidismo, sendo o tratamento definitivo o mais rápido, seja pela iodoterapia ou cirurgia. Até a realização do iodo radioativo, deve ser iniciado betabloqueador por diminuir a sensibilidade da bomba de sódio potássio ATPase ao hormônio tireoidiano em associação a drogas antitireoidianas.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil